Em Ribeirão Pires: Inaugurada a Torre de Miroku

Em Ribeirão Pires: Inaugurada a Torre de Miroku

 

 

CLAUDETE REINHART

 

Às margens da Represa Billings, em Ribeirão Pires, foi erguida a Torre de Miroku, única no Brasil, com 32 metros de altura e réplica da torre existente no Templo Horyu-Ji, no Japão, considerado patrimônio mundial pela Unesco. A história da construção desta obra começou no Brasil em junho de 1973, a partir da fundação do Templo Luz do Oriente, por Minoru Nakahashi, discípulo do Mestre Meishu-Sama, idealizador da Igreja Messiânica no Japão.

A construção da Torre teve início em 2000, quando o Reverendo Nakahashie  a artista plástica Lilian Bonemy visitaram no Japão o Templo Horyu-Ji, considerado patrimônio mundial, além de ser o templo de madeira mais antigo do mundo. A partir daí tiveram a inspiração de construir algo semelhante no Brasil, num espaço repleto de arte, paz e cercado de natureza nativa, para que as pessoas pudessem meditar e elevar a espiritualidade.

“Os desafios para essa construção eram enormes e demandavam um custo altíssimo”, explica Maurício Nakahashi, filho e sucessor do Reverendo Nakahashi, que faleceu em novembro de 2012. As únicas ferramentas disponíveis eram uma planta original de um templo que estava nos pertences de seu tataravô, que era um construtor de torres no Japão. Em 2005, com poucos marceneiros, alguns ajudantes sem experiência, foi iniciada a construção da grandiosa obra.

A construção da Torre, com cinco telhados utilizando 15 mil telhas, foi executada sem pregos e parafusos, durante mais de 12 anos, com mais de 400 toneladas de material ecologicamente sustentável e concreto (foram utilizados exclusivamente madeiras angelim pedra, jatobá e eucalipto).

A técnica de sustentação, muito utilizada no Japão, é semelhante àquela dos blocos de montar: as vigas de madeira foram encaixadas uma a uma intercalando com concreto. Para esmaltar as telhas, ouro líquido foi trazido do Japão. O serviço de pintura das telhas com uma  tinta que vem misturada com piche e que quando exposta ao calor do forno promove a fixação da coloração dourada contou com a ajuda de membros da religião.

Cada um dos cinco telhados representa uma parte do corpo de Kannon, divindade esta tanto feminina como masculina, que é reverenciada desde os mais remotos tempos no Oriente. Dentro da Torre há uma escultura de Kannon 3D de oito metros e que pesa quatro toneladas, executada durante três anos em blocos de madeira embuia e folheada a ouro 24 quilates. A escultura foi feita por Cícero D’Ávila, renomado escultor brasileiro e os vitrais do Templo foram criados e produzidos com cristais de murano  pela artista plástica Lilian Bomery.

ORIENTAÇÃO AOS VISITANTES:

O acesso à Torre é feito somente por meio de embarcação própria, saída de hora em  hora do Tahiti Náutica Club (avenida Palmira, 450, bairro Represa, Ribeirão Pires).

Ingressos devem ser adquiridos apenas pelo site www.uakatur.com.br. Excursões e escolas contam com pacotes especiais.

Após chegar em Ribeirão Pires, dirigir-se à agência Uakatur (avenida Fortuna, 100, Centro, Ribeirão Pires), onde há ônibus fretados (preço incluso no ingresso) transportarão os visitantes até o embarque no Tahiti Náutica Clube.

 

Fotos divulgação Internet

 

 

 

 

 

 

 

One Reply to “Em Ribeirão Pires: Inaugurada a Torre de Miroku”

  1. O TEMPLO MAGNIFICO ESTIVE LÁ E NÃO CONSEGUIMOS ENTRAR É UMA ARÉA TOTALMENTE PARTICULAR E TEM QUE RETIRAR AUTORIZAÇÃO. MAS PRETENDO VOLTAR PARA CONHECER. JÁ CONHEÇO O TEMPLO ZULAI E O SOLO SAGRADO EM INTERLAGOS. MAS PRETENDO VOLTAR EM RIBEIRÃO PIRES. BJS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *