ABRACORP E UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI RENOVAM PARCERIA

ABRACORP E UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI RENOVAM PARCERIA

 

A Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas – Abracorp –renovou termo de parceria técnica com a Universidade Anhembi Morumbi para o processamento e a tabulação dos dados que resultaram na entrega do Prêmio Parceiro de Valor Abracorp.

A metodologia adotada contemplou, nessa edição, 12 categorias e cinco indicadores de desempenho, avaliados pelos perfis profissionais – direção, c-level e operacional – a serviço das 29 Travel Management Companies – TMCs associadas e do mercado como um todo.

“Agora, as empresas finalistas https://www.abracorp.org.br/play#fachada-play recebem o prometido feedback em relação ao processo completo que definiu os vencedores na edição 2018/2019. Temos tido um retorno muito positivo das empresas, vencedoras ou não, pois os indicadores ajudarão essas empresas para definir suas estratégias de atuação no mercado. A referência se amplia para todas elas”, informa Gervasio Tanabe, presidente executivo da Abracorp.

O apoio técnico do Centro de Pesquisa da Anhembi Morumbi continua. A gestão e tabulação dos dados passarão pelo crivo da professora Elizabeth Kyoko Wada e de sua equipe, que busca aprimorar os estudos cada vez mais.

Na primeira edição, foram levados em conta indicadores qualitativos de desempenho; guia de boas práticas Abracorp; competitividade comercial; eficiência e qualidade no atendimento operacional; tecnologia e inovação; diferenciação na oferta de benefícios; e atratividade de produtos e serviços. Para 2020 já foram iniciadas as primeiras discussões visando melhorar ainda mais, não só os indicadores, mas os critérios, tornando assim mais clara a avaliação que será feita pelos associados Abracorp. As avaliações começam a valor já no primeiro trimestre do ano que vem.

“Os critérios utilizados têm pesos distintos para efeito de pontuação. São estritamente técnicos, imparciais e aplicados em favor daqueles fornecedores Abracorp que priorizam o Guia de Boas Práticas da entidade. Fazemos o corte dos participantes baseados nas informações extraídas do nosso BI – Inteligência de Dados”, sustenta Tanabe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *