Denim Meeting promove talk sobre Denim City SP

Denim Meeting promove talk sobre Denim City SP

Pense em um espaço amplo, moderno, repleto de conhecimento, inovação, ambientes para coworking, restaurantes, construído com base na sustentabilidade e que, principalmente, tem como objetivo unir os elos da cadeia jeanswear?

Sim, este lugar existe e já está próximo de ser inaugurado. É a Denim City São Paulo, que tem previsão de abertura no começo de outubro, no bairro do Brás (antes da pandemia do novo coronavírus, o espaço seria inaugurado em maio junto com os lançamentos das tecelagens).

Para apresentar por completo esta proposta inovadora, o Guia JeansWear promoveu, na última terça, o webinar Denim Meeting Talks: Denim City SP – “Do propósito à missão, tudo o que você precisa saber sobre o lado acadêmico e empresarial do espaço que promete conectar a indústria do denim brasileira”.

A transmissão se encaixa dentro da programação Denim Meeting em sua versão online, com a presença de Márcio Negrão, CEO da Denim City SP, além da diretora acadêmica Maria José Orione, do  diretor comercial Josué Varella, e o CEO da Tecnoblu Your ID e patrocinador da instituição, Cristiano Buerger – confira aqui o webinar na íntegra.

Com mediação de Iolanda Wutzl, CEO do Guia JeansWear, o bate-papo iniciou com Márcio Negrão contando sobre como tudo começou. “Essa conexão se deu em primeiro lugar porque o grupo que vem tocando o projeto tem uma paixão enorme pelo jeans e, em uma visita à feira Kingpins, em Amsterdam, fomos conhecer a matriz da Denim City que estava com projetos de expansão, incluindo São Paulo”, comentou o CEO.

Depois de muitas conversas, a cidade passou as outras capitais para a instalação de uma filial. “Em breve iremos conectar São Paulo com as grandes capitais mundiais, o que vai trazer uma riqueza grande de troca de aprendizados. Queremos ensinar e aprender continuamente”, completou Márcio.

O Brás foi o bairro escolhido para sediar a Denim City SP por ser um dos corações do segmento no Brasil. “Entendemos que o Brás representa uma parcela importante do denim brasileiro e, que lá teríamos mais efetividade. Além disso, encontramos o espaço perfeito em um galpão”, diz Márcio Negrão.

União da cadeia

Um dos principais objetivos do projeto é o trabalho em cadeia, que atualmente não é apenas uma opção, mas sim uma necessidade, trazendo resultados também para o entorno e o país. “Não tem como olhar diferente para 2020. O chique hoje não é o azul ou o amarelo, o chique é se colocar no lugar do outro”, afirmou Márcio Negrão, que ainda destacou que sem interdependência, as coisas não irão funcionar.

A Denim City São Paulo terá uma conexão direta com a matriz mas também liberdade de adaptação de conteúdo para a nossa realidade e o regionalismo de nosso país. Os cursos que iriam iniciar presencialmente em maio foram postergados por conta da pandemia e somente um (Do Algodão ao Denim), por enquanto, está sendo administrado de forma virtual, com a possibilidade de oferecer outras versões online.

Em outubro, previsão de inauguração, o espaço pretende oferecer os seguintes cursos. São eles:

• Do Algodão ao Denim: Aborda tecidos, processos e a história dos tecidos;
• Dando Forma ao Jeans: Foca em modelagem numa conexão entre o modelista e o design;
• Design, Pesquisa e Criação: Mostra a importância do design e das pesquisas, DNA de marca;
• A Magia do Denim: Lavanderia com foco em sustentabilidade;
• Como vender um jeans: Capacita vendedores sobre modelagem, tecidos, fits.

Para o ano que vem, será desenvolvido um curso mais aprofundado sobre sustentabilidade.

Segundo Maria José, a Denim City mantém parcerias muito ricas impulsionando a cocriação entre elas em um apoio mútuo à cadeia. O empreendimento também poderá capacitar outras empresas em diferentes estados brasileiros e oferecer cursos presenciais ou online.

“Estamos abertos para conversar com outras universidades, o denim é pouco explorado nas faculdades. No futuro queremos conversar com empresas e escolas de outras regiões contemplando o Brasil todo”, afirma a diretora acadêmica.

Segundo Cristiano Buerger, da Tecnoblu, o Brasil é um país que tem uma cadeia completa, uma das três únicas do mundo. Por isto, devemos aproveitar esse potencial. “A Denim City SP vai ser o início de um projeto que irá unir a cadeia, algo que não acontecia. Vamos começar a realizar lançamentos em conjunto e trabalhar para o jeans brilhar como aconteceu nos anos 80 e 90”, afirmou.

E continua: “Hoje essa cadeia não conversa com o mundo. Com todo o potencial que temos aqui, em poucos anos será respeitada pelo mercado mundial”.

O espaço

A Denim City irá reunir diferentes showrooms com lavanderias, tecelagens, aviamentos, empresas de tecnologia e patrocinadores incluindo ainda marcas atacadistas, fiação, entre outros. Haverá um espaço de coworking destinado a diferentes modelos de negócios, restaurantes, auditório e lavanderia piloto.

“Somos um grande HUB de conhecimento, informação, geração de negócios onde o empresário pode aprender como melhorar o seu negócio, o estudante irá aproveitar os cursos, o varejista pode capacitar sua equipe e a cadeia conseguirá fazer grandes parcerias”, comenta Josué Varella.

“Queremos entregar para o setor cursos que tenham efetividade e que nos coloque numa posição mais estratégica como país, sem nos afastar do que está acontecendo aqui”, diz Márcio Negrão. O CEO ainda afirma que a ideia é reconquistar a atratividade do setor que foi perdida com o tempo e levar as pessoas à pensarem juntos.

Feito no Brasil

A Denim City lançou ontem o movimento Jeans do Brasil com o objetivo de apresentar ao consumidor final, a importância do jeans brasileiro. “Não temos a cultura do denim no Brasil aos olhos do consumidor”, apontou Márcio.

“Esse projeto se iniciou com o intuito de abordar a rastreabilidade do jeans, mas foi sendo simplificado por causa da crise”, disse Maria José, que comentou também sobre outros movimentos que valorizam a moda brasileira. “Temos a vantagem de ter a parte agrícola, a indústria têxtil, da fiação à confecção e um varejo enorme. Tudo isso é um alento para que o Brasil retorne rápido pós pandemia, sem depender do turismo como outros países”, completou a diretora acadêmica.

Maria José também ressaltou que ainda existem ajustes no segmento, como lavanderias que não tratam corretamente a água ou a mão de obra escrava. Por isto, o consumidor precisa ser informado e ter consciência na hora de escolher qual marca irá comprar, valorizando sempre o produto brasileiro.

Para Cristiano, o Brasil tem uma condição única de evoluir a cadeia e potencial para ser um do três principais criadores, produtores e exportadores do mundo. E, para isso, é necessária a união, estar ao lado dos concorrentes para fortalecer o mercado. “Vamos chegar lá, mas tem que ser em conjunto”, comentou o CEO da Tecnoblu.

Josué contou que a inauguração irá reunir também o lançamento único com todos os elos da cadeia, não somente as tecelagens, já que o evento de maio teve que ser cancelado. “Acreditamos que isso pode ser uma grande comemoração, momento de retorno para celebrar a vida”, finalizou.

 

 

Fonte: Vanessa de Castro | Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RSS
Follow by Email
Facebook20