AT Sergio dá 3 dicas para entrar de cabeça no mundo do terror e da ficção

AT Sergio dá 3 dicas para entrar de cabeça no mundo do terror e da ficção

Quer saber como e por onde começar a se aprofundar nesses gêneros da literatura enquanto ainda estamos em isolamento social? O escritor romancista AT Sergio dá 3 dicas básicas para quem deseja entender mais do assunto.

Você sabia que cerca de 44% da população brasileira não lê? A média, segundo pesquisa divulgada na 4ª edição dos “Retratos da Leitura no Brasil”, é de 2,43 livros por ano. Para leitores vorazes, esse número parece uma afronta. Mas vamos lembrar que vivemos em um país de muitas desigualdades e que são muitos os fatores que contribuem para essa realidade.

Entre eles, a desigualdade social, o analfabetismo, a falta de estrutura familiar e inclusive o sistema educacional contribuem para uma falta do hábito de ler. Se já existe esse hábito na família, a chance de perdurar pelas gerações é sempre maior. Para conquistar o hábito, aí é preciso uma dose extra de vontade e algumas mudanças de comportamento, entre elas, ter dedicação para adquirir uma nova forma de ver o mundo.

Escolher um tema que ame muito pode tornar essa tarefa menos enfadonha e até acelerar o processo, segundo AT Sergio, escritor romancista que sempre teve uma predileção pelo Terror. Ele dá, aqui, três dicas para quem já gosta do gênero e quer mergulhar de uma vez por todas no mundo da literatura de terror/ficção/suspense;

  1. Ambientação

O escritor passou para a história situações de tensão e medo e uma boa ambientação no ato da leitura ajuda a submergir nas páginas, entrando nas cenas com a mente e com o coração. Meia luz e um som instrumental ao fundo podem fazer mágica no cenário de leitura, nos fazendo entrar firmes na história.

  1. Diferentes estilos

Não se prenda a um estilo de escrita apenas. Diversifique. Alguns autores, me incluo nessa lista, gostam de variar a forma de escrever, principalmente em histórias curtas. Então, se não foi possível encaixar a forma à sua expectativa, leia outros textos, do mesmo ou de outro autor. Certamente você encontrará algo do que não será possível se desvencilhar, indo até o final da obra, roendo as unhas, torcendo, ou não, pelos protagonistas.

  1. Fuja dos clássicos

Se você não tem o hábito de ler terror/ficção/suspense, não comece pelos clássicos. Esses foram escritos em uma época diferente, onde a escrita precisava de um formalismo exacerbado, dificultando a leitura e o entendimento. Claro que você pode iniciar por uma obra de Poe e Lovecraft, mas temos autores atuais com estilos muito dinâmicos e diretos, mantendo a atenção do leitor e a voracidade com que viramos as páginas em busca do final do livro.

Quando lemos, deixamos nossas mentes divagando em mundos além do que entendemos como realidade. E é nesse exercício viajante que nosso cérebro se mantém ativo e ávido por aprender e apreender informações e histórias. Nossa criatividade, imaginação e capacidade de raciocínio agradecem!

 

Sobre o autor

A.T. Sergio é um escritor pernambucano, romancista, organizador e participante de antologias nos gêneros terror, suspense, mistério e policial, publicado por diversas editoras nacionais e através da plataforma independente da Amazon. Autor Hardcover, plataforma de aperfeiçoamento da escrita desenvolvida pela Vivendo de Inventar, depois de publicar contos em mais de 25 antologias, estreia em romances com essa publicação, “Eles”, após ter sido finalista no prêmio SweekStars, edição 2018. Redator da revista eletrônica “A Arte do Terror”, é também colunista do portal literário “Literanima”, onde publica textos periódicos sobre criatividade e forma de escrita.

Mais informações

Marketing EntreLinhas |www.marketingentrelinhas.com.br | 21 98283-8819 | 11 97349-9850

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RSS
Follow by Email
Facebook20