Defesa Civil de Santo André interdita 191 imóveis em áreas de risco no Programa Operação Chuvas de Verão

Defesa Civil de Santo André interdita 191 imóveis em áreas de risco no Programa Operação Chuvas de Verão

Interdições foram realizadas em locais com potencial de deslizamento de terra; monitoramento das áreas é constante e ações de remoção de famílias prosseguem

 A Defesa Civil de Santo André, em conjunto com diversas secretarias municipais, interditou 191 imóveis em locais com alto potencial de deslizamento de terra desde dezembro do ano passado, quando teve início o Programa Operação Chuvas de Verão (POCV). As interdições ocorreram no Jardim Irene, Parque Miami, Morro do Kibon, Jardim Santo André e Cata Preta.

Além das residências interditadas, outras 131 habitações precárias já foram demolidas nestas áreas, eliminando o risco para essas pessoas. No total, 185 famílias já estão recebendo benefício financeiro e alimentação com a entrega de 500 kits de alimentos do Fundo Social de Solidariedade de Santo André.

O prefeito Paulo Serra participou nesta quinta-feira (17) de uma reunião com as equipes que atuam no Programa Operação Chuvas de Verão, para realizar balanço das ações e traçar estratégias para próximas intervenções.

“Estamos investindo em mais obras de drenagem, na equipe que realiza as limpezas, e todo aparato técnico e humano para impedir que as catástrofes aconteçam. Temos feito um trabalho respeitando a nossa gente e focado na preservação da vida”, destacou o prefeito Paulo Serra.

Desde o início do POCV, em 1º de dezembro, a Defesa Civil recebeu 1.161 solicitações de vistoria. Foram mais de 600 toneladas de resíduos removidos dos viários, 4,4 toneladas de resíduos retirados de rios, córregos, bocas de lobo e limpeza geral durante todo o ano passado. Além disso, 65 famílias receberam assistência humanitária por conta de inundações. Foram doados ainda 123 colchões e 86 cobertores.

As famílias removidas recebem auxílio-aluguel de R$ 465 por mês, inicialmente durante seis meses. Esse período poderá ser estendido, a critério da Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária.

Trabalho constante – O POCV realiza um planejamento completo de contingência para o período de chuvas que vai de 1º de dezembro de 2021 a 15 de abril de 2022. O programa traça protocolos para resposta rápida e integrada a emergências causadas por chuvas intensas no território andreense.

O plano municipal busca minimizar os impactos das chuvas para a população e foi formulado com base em uma extensa análise de cenários de risco, no monitoramento constante de dados meteorológicos, hidrológicos e geológicos, e na gestão inteligente de recursos, de forma articulada com a administração direta e indireta.

O programa de minimização de impactos orienta o que deve ser feito e por quem em cada estágio de emergência, visando a volta ao estágio de normalidade e minimizando desastres maiores. O foco principal é a prevenção, tanto de estrutura física das variadas regiões da cidade, como também da orientação para a comunidade, com o objetivo de prevenir situações mais graves.

Todas as áreas de risco do município são monitoradas e as ações de remoção de famílias em áreas de risco continuará. Também como parte do POCV, a Prefeitura de Santo André prossegue com a limpeza e manutenção dos equipamentos de drenagem, retirada de resíduos sólidos e realização de roçagem, para evitar alagamentos e inundações.

| Texto: Daniel Betega

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *