Inauguração da Galeria Dezoito marca retomada do mercado de arte com exposição de Roni Munk

Inauguração da Galeria Dezoito marca retomada do mercado de arte com exposição de Roni Munk

Espaço na Vila Madalena é um dos marcos da retomada do mercado da arte no Brasil ao mesmo tempo que busca renovar o setor para atrair um novo público, uma galeria de arte integrada com a moda, o entretenimento e a gastronomia

No dia 5 de abril, a esquina das ruas Simpatia e Harmonia, na Vila Madalena, ganham um novo espaço que simboliza um momento importante na retomada do mercado de arte no Brasil pós-pandemia. A Galeria Dezoito abre suas portas com uma exposição do fotógrafo Roni Munk, que faz sua primeira mostra individual em São Paulo.

A curadoria da galeria é de Vivian Faingold e o conceito é de um espaço multiuso para atrair um novo público para o espaço formando uma nova geração de admiradores da arte.

O objetivo foi criar algo disruptivo no setor, no entanto, sem perder o foco do respeito e da valorização do trabalho artístico. Um prédio com janelas amplas, onde não vão encontrar as tradicionais salas de paredes brancas, e bem em um dos bairros mais boêmios da cidade, a Vila Madalena.

A galeria nasce totalmente integrada com uma manifestação diversa, como a moda, o entretenimento e a gastronomia. Um espaço de convivência vivo e pulsante que proporciona uma contemplação da arte que provoca sensações plurais.

Roni Munk inaugura a Galeria Dezoito

Quem estreia o novo espaço é o fotógrafo Roni Mink, que realiza sua primeira mostra individual em São Paulo, a NeoForma, que mescla obras inéditas com imagens do início de sua produção, há cerca de cinco anos. Os apreciadores poderão viajar pelo tempo compreendendo o caminho do amadurecimento do artista que se dedica à pesquisa da fotografia digital e da fotoescultura.

O fotógrafo deu os primeiros passos na fotografia com sua mãe, Judith Munk, a primeira fotojornalista mulher atuando no Rio de Janeiro a partir do final dos anos quarenta. A Rolleiflex, que ainda está no seu estúdio, deixou marcas fortes na forma como fotografa. Outra referência para seu trabalho mais recente é o movimento neoconcretista, inspiração para sua investida no universo da fotoescultura. Suas obras, como disse Ferreira Gullar sobre a escultura de Amílcar de Castro, buscam “surpreender a forma em seu nascedouro”.

Cores, texturas, dobras, recortes e diferentes materiais – como telas, argila e cimento – surpreendem em formas e volumes fora do convencional suporte da fotografia bidimensional, propondo uma nova relação com o expectador e representando o temperamento inquieto de Munk e sua maneira intensa de viver e sentir.

Do passado, traz, por exemplo, raízes que brotam do barro e estruturas de ferro são incrustadas em concreto. Suas criações mais recentes são laminadas em chapas de metal, recortadas e dobradas. Peles de arvores e outras texturas se transformam em borboletas, pássaros e cidades, conferem movimento que se misturam em uma dança, propondo novas interpretações a cada olhar.

A exposição mostra também um outro caminho que o artista está trilhando: a arte colaborativa. O jovem artista visual suíço-boliviano Fabrizio Grisi, que mora e trabalha em Berlim, participa da exposição com duas intervenções na série Raízes, se apropriando de suas fotos para criar outras obras.

A partir de então, o fotógrafo já participou de exposições na Galeria Reserva Cultural 2021 (individual), no Espaço Judith Munk 2019 (coletiva) e na galeria da Cidade das Artes 2017 (individual). Seus trabalhos foram selecionados pelo Festival Universo Feminino – Singular e Plural do Clube de Fotografia de Camaçari, pelo 10º Festival de Fotografia de Tiradentes, Festival Internacional de Fotografia Paraty em Foco e pré-selecionado pelo 10º Prix de la Photo da Aliança Francesa. Participou da ação Fotos Pró Rio. Editou três foto-livros de artista e é coautor do livro ‘Do outro lado, Do lado de cá’, que contempla fotografias e será publicado em 2022.

 

Serviço

Inauguração Galeria Dezoito com exposição “NeoForma – fotoescutura e fotografia”, do fotógrafo Roni Roni Munk

Endereço: Rua Simpatia 23, Vila Madalena – São Paulo/SP

Data a abertura: 05 de abril de 2022, 19h00.

Dias e horários de funcionamento a partir do dia 06 a 28 de abril: Terça a Sábado: 11h00 as 20h00.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *