Moeda Verde chega às comunidades Nova Centreville e Homero Thon

Moeda Verde chega às comunidades Nova Centreville e Homero Thon

Crianças da comunidade participaram das Gincanas Ecológicas

 A Prefeitura de Santo André, por meio do Banco de Alimentos do Fundo Social de Solidariedade, e o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) deram início às trocas do programa Moeda Verde junto aos núcleos Homero Thon e Nova Centreville na manhã desta quarta-feira (30). Com a chegada aos novos locais, a iniciativa já está presente em 19 comunidades, beneficiando quase 95 mil moradores, de forma direta e indireta.

As trocas contaram com a presença da primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Ana Carolina Barreto Serra, do prefeito Paulo Serra, e do superintendente do Semasa, Gilvan Junior, além de outras autoridades. O evento recebeu ainda uma comitiva de representantes das cidades de Leme e Porto Ferreira (no interior de São Paulo), que estavam conhecendo outros projetos andreenses, incluindo o Moeda Verde.

“O Moeda Verde é um exemplo de política pública integrada. Unimos solidariedade, meio ambiente, alimentação e educação numa só iniciativa. Seguiremos ampliando esse programa que é um orgulho para Santo André e que já é referência para várias cidades do país. Juntos, vamos continuar atendendo as famílias que mais precisam”, afirmou a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Ana Carolina Barreto Serra.

O superintendente do Semasa, Gilvan Junior, destacou a importância da iniciativa e o viés inovador. “O Moeda Verde é um programa que transforma a cidade e a vida das pessoas. Com uma premissa simples, auxiliamos na limpeza das comunidades, ampliamos o sentimento de pertencimento e levamos alimento de qualidade para a população. Por isso, o programa é um sucesso, com reconhecimento nacional”, explica.

A partir de agora, a cada 15 dias, os moradores dos dois núcleos poderão trocar cinco quilos de resíduos recicláveis por um quilo de alimento fresco do tipo hortifrúti. Nesta primeira ação, foram descartados quase 200 quilos de resíduos e, em troca, entregues 40 quilos de cebolas, abobrinhas, bananas, mexericas, além de hortaliças, como alface e almeirão. Nestes dois novos locais, a previsão é impactar 770 famílias.

Em abril, como parte da agenda de aniversário de Santo André, o Moeda Verde chegará a mais dois núcleos, Vila Sá e Havana. Até o final do ano, a expectativa é que as trocas estejam presentes em 23 locais.

“Aqui tem muito problema de lixo, então essa troca vai deixar mais fácil para o pessoal da comunidade se desfazer do lixo e trocar por comida. É uma coisa muito boa, porque está tudo muito caro e já nos ajuda”, comenta a moradora do núcleo Homero Thon, Aldenilda Oliveira da Silva, que reside há 28 anos no local.

A agenda de trocas e todas as informações sobre as ações estão disponíveis no site www.semasa.sp.gov.br/moedaverde.

 

Gincanas Ecológicas – Concomitante às trocas do programa, o Semasa também promoveu mais uma edição das Gincanas Ecológicas, ação que permite às crianças participarem de brincadeiras, somarem pontos e trocarem por brinquedos. Os brinquedos foram doados nas Estações de Coleta da autarquia, passaram por seleção e higienização.

Dezenas de crianças participaram dos jogos e 190 brinquedos, como bonecas, bicicletas, bolas, bonecos de ação, entre outros, ganharam novos lares.

Assim como o Moeda Verde, a Gincana Ecológica também é um projeto com viés sustentável e que atende às premissas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas. Esta já é a terceira edição do evento, que já passou pelas comunidades Sacadura Cabral e Eucaliptos, em 2021.

 

| Texto: Paloma Alvarez

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *