[fwrsw_print_responsive_full_width_slider_wp]
Não tenho sobrenome italiano, logo, ainda tenho direito à cidadania?

Não tenho sobrenome italiano, logo, ainda tenho direito à cidadania?

Critério para aquisição deste documento não impede que a dupla cidadania seja feita

Rossi, Marino, Greco, Giordano ou Lombardi. Esses são alguns dos sobrenomes italianos mais comuns existentes no Brasil. Afinal, são mais de 30 milhões de brasileiros que possuem ascendência italiana no País. Mas e se meu nome não consta com nenhum sobrenome italiano, mesmo assim, eu posso ter o direito à cidadania?

A young female tourist standing on a platform surrounded by fences and observing Lisbon at daytime in Portugal

Sim. Basicamente, o sobrenome é o que dá direito, mas você pode ter o direito mesmo sem esse critério. Isso acontece graças a sua Dante Causa!

O direito da cidadania italiana é resultado da origem da família, e isso é comprovado pelo Dante Causa, que lhe dá o direito de se tornar um cidadão italiano, e não somente pelo sobrenome. Ou seja, o sobrenome acaba sendo uma ‘consequência de descendência’, porém, quando nascemos, pode acontecer dos nossos pais optarem em não colocar o sobrenome italiano, mas isso não muda nada na sua situação.

Quando um cliente nos procura pedindo ajuda para iniciar o processo, é importante destacar que antes disso, essa pessoa precisa perguntar aos familiares sobre seus antepassados e a partir disso, já se descobre o Dante Causa ou “Aquele que dá a causa”, e, neste contexto, para pleitear a cidadania italiana. Sem isso, infelizmente, não é possível iniciar o processo de aquisição da dupla cidadania.

Caso não seja encontrado o Dante Causa logo de ‘cara’, é iniciado então o processo no departamento de genealogia, com profissionais que vão em busca de documentos para provar sua ligação com a Itália. Isso acontece por meio da pesquisa da árvore genealógica, conseguindo a partir de certidões, encontrar um parente importante para o processo.

O Dante Causa reúne documentos básicos e necessários para iniciar a aquisição, como o Atto di Nascita, como se fosse uma certidão de nascimento; Certidão de Matrimônio, já que comprova o nome do cônjuge, ou uma Certidão de Óbito. Ou seja, qualquer dado é relevante para iniciar esse processo.

Como dica importante: se você já tem em mente um ascendente de família com ligação à Itália, busque informações como nome completo, data de nascimento, local de nascimento e nome dos pais (filiação). Apesar de ser um processo complexo e de tempo necessário para ser concluído, quando finalizado, é gratificante por emanar suas verdadeiras raízes italianas!

Artigo de Eduardo Velloso, CEO da Trastevere, assessoria especializada no reconhecimento da cidadania italiana