NESTA ENTREVISTA, A JORNALISTA ANA NERY, ABORDA O NOVO CENÁRIO DA “MÍDIA NA PANDEMIA”

NESTA ENTREVISTA, A JORNALISTA ANA NERY, ABORDA O NOVO CENÁRIO DA “MÍDIA NA PANDEMIA”

A jornalista Ana Nery, jornalista do Portal Alto Tietê, News Total, Santa Fé do Sul e Portal Empreendedor, foi a entrevistada dessa quinta-feira (27) na live da TVN, no programa Tempos de Mudança. Oportunidade em que abordou o tema a “Mídia durante a Pandemia” ao jornalista Wallison Delano.

Nesta entrevista virtual, Ana Nery apontou que sem dúvida, a pandemia da COVID-19 e o distanciamento social têm promovido mudanças significativas no modo de interação da população, principalmente na maneira de o público consumir e se engajar com os conteúdos e plataformas sociais. O mundo jamais será o mesmo e o aprendizado digital será uma grande herança positiva deste período desafiador que estamos vivendo.

Acrescentou ainda que a pandemia (e, mais precisamente, a quarentena) apenas evidenciou o que profissionais da área têm apontado há mais de 15 anos no Brasil: ser digital não é mais uma opção. É uma necessidade. No entanto, com a crise, o que levaria anos para ser implementado e consolidado nas empresas, veio de uma maneira impositiva, sem grandes reflexões sobre qual o melhor formato digital para a sua realidade. Afinal, mais de 60% da população brasileira têm acesso à internet e a maior parte estava em casa, com hábitos de consumo também mudando devido ao cenário.

Confira na íntegra a entrevista:

Qual a importância da Mídia Digital ?
Alguns reflexos da revolução tecnológica eletronica e digital só puderam ser enxergados nesse período de pandemia. Não poder mais ir à escola, por exemplo, as pessoas tendo que estudar virtualmente, onde a casa virou o novo ambiente de trabalho, o falado “home office”. É fato que todos tiveram que se adaptar a esse novo estilo de vida e é certo que esses avanços digitais permanecerão no cotidiano cada vez mais.

No momento em que estamos vivendo, onde o contato físico se transformou para o “online”, estamos mais conectados do que nunca. A era digital veio para ficar de vez, empresas e lojas tiveram que começar a investir no “marketing” digital pelas mídias sociais e isso vem trazendo resultados.

Além de ser um meio para as empresas conseguirem passar por essa crise da Covid-19, também é vantajoso para os consumidores, que com muito mais praticidade, comprarão “online” e ainda terão um canal de comunicação com os vendedores.

A tecnologia digital permanecerá implantada em muitos cenários. Manter um funcionário trabalhando em “home office”, por exemplo, sai bem mais barato para a empresa. Então, o trabalho em casa deve virar tendência depois da pandemia, e a digitalização dos negócios será muito mais pensado.

Portanto, os reflexos da era digital impulsionados pela pandemia ficarão cada vez mais presentes no mercado de trabalho. Em razão disso, a inovação tecnológica digital será essencial em todos os meios possíveis, trazendo consequências positivas para o comércio, indústrias e empresas que sofrerem transformações pela tecnologia e se atualizarem para o “marketing” digital nas mídias sociais.

Sobre as redes sociais em tempo de pandemia?
Conforme a crise mundial causada pelo COVID-19 vai tomando proporções maiores, as formas de interagir pelas redes sociais estão sendo alterada, provocando mudanças nas tendências de consumo.

As redes sociais, assim como outras formas de comunicação digital, têm desempenhado um papel fundamental na criação de senso de solidariedade e apoio social também têm exercido agora um papel importantíssimo e bem positivo no combate ao COVID-19.

Tanto comércios como profissionais autônomos podem utilizar as redes sociais como forma de mostrar que seguem em atividades e estão dispostos a seguir ajudando os consumidores, mesmo que de formas diferentes para respeitar a questão de saúde pública.

Lives, tutoriais, interações com o público, compartilhamento de conteúdo relevante e empático e até mesmo a criação de uma rede de apoio e solidariedade com os demais empreendedores da sua região é uma forma de se mostrar presente.

Como Portal Alto Tiete e outras empresas adotaram o regime de home office para seguir as diretrizes da Organização Mundial da Saúde, seguimos trabalhando diariamente lado a lado a nossos clientes para ajudar a adaptar suas estratégias de comunicação ao cenário da pandemia.

E a melhor recomendação que podemos dar neste momento para empresas é o uso de forma profissional das redes sociais como uma forma de manter o relacionamento com os consumidores ou até mesmo atrair novos públicos para o negócio.

Como você vê a disseminação de fake news na pandemia
As fake news ou notícias falsas ganharam destaque nos últimos tempos, principalmente por duas razões: devido à facilidade e velocidade de disseminação e pelo impacto que podem gerar. A mentira mata.!

O assunto é tão delicado que até a Organização Mundial da Saúde (OMS) usou o termo infodemia para se referir à prática de divulgar notícias falsas ou informações incorretas relacionadas à pandemia, uma vez que, no contexto atual, a desinformação representa um problema mais sério por ter a capacidade de colocar em risco a saúde e a integridade de muitas pessoas.

Desde que a Covid-19 se propagou mundialmente, a desinformação fez com que, entre outras coisas, pessoas com sintomas da doença tomassem remédios sem qualquer evidência científica que pudesse demonstrar a eficácia no tratamento.

A viralização de informações falsas influência de forma direta na consciência coletiva e o problema está na velocidade com que ela se espalha, principalmente se seu criador as promove e as compartilha de várias contas e redes ao mesmo tempo.

A influência da live na pandemia
Na quarentena, o mundo virou uma live. Com a quarentena, as empresas viram uma oportunidade única de impulsionar as transmissões ao vivo pela web.

A pandemia do novo coronavírus já resulta em uma série de mudanças a respeito de como governos, empresas e a sociedade enxergam o mundo. As pessoas foram obrigadas a abrir mão de liberdades como ir a festas, bares e shows pelo bem-estar umas das outras.

Mas, passar mais tempo em casa serviu para algo, foi ensinar que existem outras formas de se entreter, comunicar e (principalmente) fazer dinheiro.

A pandemia acelerou a digitalização como um todo, O poder de alcance maior das lives incentivou o interesse de diversas marcas que jamais olharam para esse tipo de oportunidade.

O movimento das lives como uma ferramenta de entretenimento e monetização veio para ficar. Live, como estratégia de sobrevivência, relacionamento e influência na pandemia – e depois dela.

A importância da Mídia para as pessoas na pandemia
Nesta terrível crise que estamos vivenciando em relação ao novo coronavírus, percebemos a importância da comunicação em nossas vidas, seja no ambiente pessoal, profissional e social, pois através dela, o mundo se juntou mesmo com o isolamento social. Através da comunicação, as pessoas conversaram, motivaram, animaram, cuidaram, venderam e outras tantas ações. Isso só fortaleceu a afirmação de que a comunicação é o alicerce de desenvolvimento humano e social.

O que a gente pôde também perceber é que a pandemia está fazendo as vezes de um catalisador, um acelerador de mudanças que, na verdade, já vinha acontecendo. Mas como fica a comunicação no meio disso tudo?

A primeira certeza é de que as plataformas digitais se potencializaram ainda mais como poderosas ferramentas de troca de informações, tornando- se durante a pandemia as principais aliadas para cumprir as atividades de home office e de convívio com a sociedade. O posicionamento também será muito mais cobrado. Com o aumento da velocidade da informação e o seu acesso se tornar mais fácil, será exigido no “novo normal”, que o ato de se comunicar seja mais assertivo, tornando-se direto, claro e objetivo para não dá margem à dúvida.

O hábito das pessoas em ver, ouvir e ler jornal ficou mais perceptível neste momento de espera pelo aumento no número de casos do novo coronavírus (COVID-19) no Brasil. A comunicação se fez urgente e necessário, aliás sempre foi. Reforçam a importância da comunicação na prestação de serviços e, principalmente agora, no esclarecimento da população quanto à pandemia, seja atualizando sobre a doença ou desfazendo notícias falsas.

Sobre o crescimento das marcas com o consumidor na pandemia
Desde a declaração da pandemia, as mídias sociais têm sido o principal canal de comunicação entre as marcas e seus consumidores, e uma ótima oportunidade para estreitar relacionamento. As empresas têm promovido campanhas, eventos e diversas promoções com o objetivo de fomentar suas vendas. No entanto, um comportamento sobressai novamente, a empatia em foco.

Com o avanço da internet, a relação entre as marcas e o público consumidor sofreu inegável alteração: a comunicação, que antes era realizada principalmente por veículos tradicionais, hoje passou a ser realizada predominantemente por meio da internet, sobretudo através de mídias sociais das próprias marcas ou de influenciadores digitais. Não se trata apenas de alteração da ferramenta de comunicação, mas também da proximidade da conversa entre as marcas e os consumidores. A simplicidade e espontaneidade das redes sociais permitem que as marcas criem relacionamentos próximos e diretos com os consumidores que, por sua vez, também se tornaram mais conectados, atentos e à procura de marcas que não só atendam às suas necessidades, mas que também adotem posicionamentos consistentes com o mundo atual.

A importância da ciência na pandemia
Desde o início da pandemia de covid-19, a ciência e a mídia vêm mostrando seu valor, atuando como verdadeiras protagonistas. . A pandemia da Covid-19 promoveu uma grande mudança social: nunca se falou tanto sobre ciência, nunca se observou tão de perto os processos científicos e nunca houve tanta gente opinando sobre os resultados de artigos. Isso é importante, mas, também, é um grande desafio para a comunicação pública da ciência, uma vez que estamos sendo expostos de forma muito rápida a uma quantidade excessiva de informações.
Neste momento torna-se, portanto, importante e necessário fornecer meios para que o público consiga analisar e encontrar informações corretas, atualizadas e confiáveis. Permitir que a população tenha participação e protagonismo na cultura científica e nas decisões públicas de forma efetiva. Esse grande desafio da comunicação pública da ciência no Brasil é, também, um desafio em todo o mundo.

Como a mídia pode ajudar na promoção da paz?
A mídia contribuir para a construção de uma realidade social mais justa e pacífica com base no entendimento de que conflitos podem ser veiculados de diferentes maneiras sem perder o grau de veracidade. Surge com o objetivo dar voz a todas as partes envolvidas e, portanto, evidencia o discurso de resoluções, reconstrução e reconciliação

É uma estratégia que visa à melhoria das representações da mídia, da construção da realidade e da consciência crítica, são essenciais para promover e encorajar o desenvolvimento das estruturas democráticas de comunicação. A combinação de tais estruturas com a mídia pode aumentar a eficácia de programas de desenvolvimento, reduzir a desigualdade sócio econômica, a corrupção e a exploração; além disso, incrementa o respeito social e o respeito pessoal para com os componentes mais fracos das sociedades em desenvolvimento.

A mídia é tão essencial quanto as estruturas democráticas da mídia para o aprimoramento de políticas desenvolvimentistas, já que busca causas e soluções para os conflitos; dá voz às partes envolvidas; busca assegurar que os próprios conflitos e não facções específicas ou outras sejam vistas como sendo o problema; estabelece conexões entre jornalistas, suas organizações e fontes de informações, suas histórias e as conseqüências de suas publicações; introduz uma literatura específica e o discurso da não-violência e da criatividade diária; além disso, promove o aperfeiçoamento de uma consciência de produção e consumo da mídia

O que se retrata nas mídias é capaz de transformar mentes e corações – ou seja, a sociedade como um todo -, o que pode acontecer se usarmos estes canais conscientemente para gerar uma cultura de paz, solidariedade e respeito às diferenças?

Só sei que não podemos desistir de tentar construir este novo mundo. Como sonhadores que sonham juntos uma nova realidade.

Ana Nery, jornalista do Portal Alto Tietê – Portal News Total – Portal Santa Fé do Sul e Portal Empreendedor. Graduada em Comunicação Institucional/Marketing e pós-graduação em Jornalismo Empresarial e Assessoria de Imprensa – Diretora da ABIME (Associação Brasileira de Imprensa de Mídia Eletrônica e Digital do Alto Tietê e Vale do Paraíba – Título de Embaixadora da Paz Mundial pela Federação para a Paz Universal (UPF).

Portal Alto Tietê

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *