POLÍCIA CIVIL LANÇA MANUAL PARA ORIENTAR AS PESSOAS A EVITAR OS CRIMES VIRTUAIS

POLÍCIA CIVIL LANÇA MANUAL PARA ORIENTAR AS PESSOAS A EVITAR OS CRIMES VIRTUAIS

O objetivo da Secretaria de Segurança Pública é ajudar vítimas que já caíram em golpes e dar dicas que os usuários saibam como evitar de cibercriminosos.

A Policia Civil anuncia o lançamento de um manual sobre crimes virtuais para ajudar as pessoas a evitar os golpes na internet, ocorrências que tiveram aumento nesse período de pandemia da Covid-19, com a intensificação da prática por parte de cibercriminosos que exploram a vulnerabilidades dos usuários.

Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), o teor do documento foi pensado e desenvolvido pelas equipes da recém-criada Divisão de Crimes Cibernéticos (DCCIBER), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), sob orientação do delegado divisionário Gaetano Vergine.

A cartilha, com o explica a SSP, é um tutorial para que as pessoas não apenas se previnam dos golpes mais comuns, mas saibam o que fazer em caso de serem vítimas. É um material oficial e completo que a população pode acessar sem medo de ser ‘fake’ ou de fonte não confiável.

“Notamos que as pessoas recebiam informações desencontradas e orientações de muitas fontes que nem sempre indicavam o caminho correto”, explica a delegada Patrícia Carbone, responsável pela comunicação social do departamento.

Conteúdo

O manual estabelece práticas que devem ser cumpridas para se precaver dos golpes – os mais comuns são os financeiros. No caso da fraude aplicada pela clonagem do aplicativo de mensagens, por exemplo, a Polícia Civil orienta que os usuários ativem a “Confirmação em duas etapas” no WhatsApp, não forneçam o código verificador que você recebe via SMS no celular, entre outras medidas.

Quando se trata de boleto falso, o pagador deve se atentar aos dados do beneficiário, além de conferir se os três primeiros números do código de barras correspondem ao banco cuja logomarca aparece no boleto. Na dúvida sobre a veracidade, a polícia sugere que consulta diretamente com o fornecedor que emitiu o documento.

Já para evitar fraudes bancárias é importante evitar usar computadores públicos e redes abertas de wi-fi para acessar conta bancária ou fazer compras online, não abrir e-mails de origem ou de procedência duvidosa, nem arquivos ou clique em links que estejam anexados ou no corpo desses e-mails.

Esses são só alguns exemplos, o material completo traz detalhes de dez dos crimes atuais – clonagem de WhatsApp, boleto falso, fraudes bancárias, sites de comércio fraudulentos, golpe do falso leilão ou empréstimo, “Ransonware” (sequestro de dados), Golpe Don Juan, Sextorsão, golpes envolvendo PIX e crimes contra a honra.

Ainda há orientações a serem cumpridas por vítimas que já caíram em golpes. Neste caso, além de executar as medidas detalhadas na cartilha, para qualquer uma das fraudes, independentemente do tipo, é fundamental registro do boletim de ocorrência para que a Polícia Civil possa investigar e responsabilizar os envolvidos.

O registro formal das ocorrências pode ser feito em qualquer delegacia territorial ou também por meio da Delegacia Eletrônica: https://www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br/ssp-de-cidadao/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *