3º DIA EXPO FESTAS – PREPARANDO A RETOMADA

3º DIA EXPO FESTAS – PREPARANDO A RETOMADA

Impedidos de abrir as portas por vários meses, os buffets precisaram se reinventar para manter a conexão com os clientes. Os cuidados e procedimentos para a retomada foram tema da live que abriu a programação do dia, com mediação do consultor Hubert Krause.

Um dos convidados, Paulo Pavan, da rede Kid Recanto, lembrou que que boa parte de novos clientes, entre 30% e 40%, vinha do “boca a boca” que se perdeu com a interrupção das festas. Por isso, ele intensificou sua presença nas redes sociais para transmitir confiança ao mercado. “Nós mostramos que estávamos firmes, sólidos e que os clientes poderiam continuar contando com a gente”.

Victor Costa, do Castelo da Diversão, foi pelo mesmo caminho das redes sociais para manter sua rede viva na lembrança dos clientes. A fim de agilizar o trabalho e manter a frequência de postagens em volume adequado, contratou uma ferramenta que automatiza o processo. Sobre o trabalho de convencimento do cliente quanto à segurança, a Kid Recanto produziu um vídeo para demonstrar a prática dos protocolos segurança. “Reinventar é a palavra do momento”, aconselhou Pavan.

 

Em mais um bate-papo com os visitantes, o embaixador da Expo Festas e Parques, Fábio Raian, pegou o gancho da apresentação anterior para falar da retomada das festas. Ele ressaltou que, ao contrário dos buffets, os decoradores não pararam e o mais importante neste retorno é olhar para o time completo – boleiras, montadores, floristas – com a consciência de que todos precisam trabalhar. “A retomada saudável vai se dar com um ajudando o outro”.Em resposta a perguntas da audiência, Fábio tocou num ponto delicado do trabalho de decoradores: o uso de personagens licenciados. A partir de sua experiência e de consultas a advogados, ele aconselhou que a melhor forma de fugir da acusação de pirataria é nunca utilizar itens que a licenciadora já tem em seu portfólio e criar aqueles que ela não fabrica, caracterizando como trabalho artesanal.

Em seguida, chamou atenção para a prática comum no mercado de “dar a festa” a influenciadores famosos em troca de visibilidade, a conhecida “permuta”. Para Fábio, é preciso cuidado porque o retorno na forma de mais seguidores muitas vezes não se converte em novos clientes. Para 2021, o festeiro mais querido do Brasil deixou uma mensagem de otimismo: “Sim, é possível você melhorar de vida trabalhando com festas. O novo ano será um divisor de águas”.

DESAFIOS E OPORTUNIDADES

 

Fábio Raian e Hubert Krause voltaram na companhia da animadora Tia Docinho, da especialista em modelagens em açúcar Elisabeth Teodoro e da decoradora Dulce Galvão para discutir os desafios e oportunidades surgidos com a pandemia. Hubert citou a questão política, pois muitas cidades brasileiras ainda não autorizaram a realização de festas. “Outro aspecto é que muitos empreendimentos estão descapitalizados e precisam arcar com o aumento de custos”. Entre os aspectos que podem ser considerados positivos, o especialista destacou que algumas soluções para driblar a crise devem virar definitivas, como a atenção à gestão, o uso da tecnologia e a descoberta de novas fontes de receita.

No segmento de animação, muitos profissionais tiveram que buscar fontes alternativas de renda, contou a Tia Docinho. “Alguns passaram a vender produtos relacionados a festas, mas outros migraram para outro tipo de negócio, o que é uma pena”. Entre as alternativas encontradas pelos animadores estiveram performances na frente de prédios para alegrar as crianças confinadas e apresentações virtuais, que transformaram em mais um braço de negócio.

Já Dulce explicou como ressignificou seu negócio para atender à demanda por festas menores, principalmente as domésticas. Ela reduziu o tamanho dos painéis para caberem na casa do cliente e criou kits menores de doces, por exemplo. A pandemia impactou toda a cadeia de profissionais de festa, mas Dulce fez questão de oferecer oportunidades para todos sempre que possível. “O decorador é a ponta do atendimento e deve estender uma rede de auxílio a confeiteiros, fotógrafos, floristas e outros profissionais”. Sua mensagem final foi de esperança: “Estamos mais perto que longe do final desta situação. Está passando, tudo vai ficar bem!”.

CONFIANÇA E CREDIBILIDADE

Mediado pela jornalista Marcia Landsmann, da revista Arte com Balões, o painel sobre posicionamento de marca abrangeu temas como treinamento, atendimento e encantamento do cliente com serviços e produtos. Beatriz Micheletto, da Be Marketing, reforçou que construir reputação não acontece do dia para noite, leva tempo e é importante mostrar trabalhos já feitos. “É preciso dar pílulas de conhecimento para o cliente, mostrar que a gente cumpre tudo que se propõe a fazer”.

Mariana Vieira, da Toth Balões, tocou nos desafios do treinamento, principalmente adaptar os colaboradores temporários às diretrizes da empresa. Ainda sobre esta questão, Manu Pereira, docente da área de recreação e lazer do Senac São Paulo, destacou que o treinamento precisa ser feito de forma acolhedora. “Usamos o termo ‘hospitalidade’ e procuramos deixar a dinâmica lúdica para que os alunos entendam que eles estão representando a empresa que os contratou”.

Andrea Valdivia, da Academia de Festas, concordou: “Todo treinamento que faço é motivacional. É importante que as pessoas entendam a qualidade do trabalho, do material que estão usando e de como se portar para atender o cliente”.

Para fechar o dia, Ana Flavia Leite, da Bendita Mesa Posta, enumerou uma série de tendências que foram aceleradas com a chegada da pandemia, como home office, cursos online, entretenimento digital, o DIY (Faça você mesmo) e claro, a mesa posta. “O isolamento deixou as famílias mais próximas e gerou eventos intimistas. Algumas pessoas partiram para a mesa posta para achar uma atividade, outras para separar o local da refeição de outros ambientes em que a casa se transformou”.

Ana Flavia define “tendência” como algo que se manifesta inicialmente como um movimento sociocultural e que depois vai chegando às várias esferas da nossa vida. É por isso, garante, que a grande tendência do momento é a casa, a nossa casa, porque “ela virou tudo: escritório, escola, academia, restaurante…”.

A especialista aposta que a Mesa Posta, assim como as demais mudanças que chegaram com a pandemia, vieram para ficar e avisa que quem começa nesta atividade não quer mais parar: “Você reinventa o cotidiano, encontra prazer na repetição do óbvio, desenvolve habilidades que você nem sabia. É muito prazeroso!”

CONTADOR DE HISTÓRIAS

Considerada uma das técnicas mais modernas do marketing, o storytelling, ou o ato de contar histórias, remonta a tempos ancestrais. A novidade é a busca de estruturas e estratégias para fazer isso de modo a encantar – ou reencantar – os clientes. Foi com esta explicação que Fernando Palácios, um dos pioneiros desta técnica no Brasil, abriu a última live do dia.

Segundo o especialista, a pandemia acelerou o um processo de desencanto que já vinha se manifestando. As festas, como outras atividades analógicas foram uma das mais afetadas. Como reencantar o cliente? Como trazê-lo de volta?

A receita de Palácios aponta três caminhos: Transmídia, a orquestração de várias mídias (analógicas ou digitais) trabalhando de forma harmônica; Tematização, ou amarrar as ideias que existem por trás de um produto; e Experiência, que deve ser repensada para ganhar novas dimensões, mesmo no ambiente analógico.

Outra dica oferecida pelo especialista é “transformar o defeito em efeito”, como usar as restrições impostas pela pandemia e transformá-las no atrativo de uma festa – todos vestidos de astronauta para garantir a segurança sanitária de forma divertida, por exemplo. “Momentos de crise demandam saídas criativas. Minha mensagem final é esta: que saídas vamos encontrar?”.

 

Acesse plataforma de inscrições

Hoje, (30) tem muito mais na Expo Festas Virtual! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *