Alunas Da Rede Estadual São Selecionadas Para O Programa Jovens Embaixadores 2021

Alunas Da Rede Estadual São Selecionadas Para O Programa Jovens Embaixadores 2021

Seleção brasileira contou com 10.119 inscritos; evento acontece de forma online entre os dias 14 de junho e 13 de agosto

Duas estudantes da rede estadual de São Paulo foram selecionadas para o Programa Jovens Embaixadores 2021, iniciativa oficial do Departamento de Estado dos EUA, coordenado pelas Embaixadas do país. Gyullia do Valle de Oliveira, que conclui seus estudos em 2020 na Escola Estadual Professora Nair Ferreira Neves, em São Sebastião, e Jamilly Inaer Turini dos Santos, estudante da Escola Estadual São Nicolau de Flue, em Capivari, são as representantes do estado de São Paulo.

No Brasil a seleção teve mais de 10 mil inscrições, concorrendo a 33 vagas, distribuídas em todos dos estados e Distrito Federal. Neste ano por conta da pandemia, causada pela Covid-19, o programa será realizado de forma virtual com jovens da América Latina e Estados Unidos.

“Apesar de não poder fazer a viagem para os Estados Unidos, eu acredito que o programa online ainda assim vai conseguir cumprir o que de fato ele tem como objetivo: ampliar e construir mais conhecimento,  trazendo grandes exemplos de liderança e engajamento juvenil. De qualquer forma é um prazer fazer parte dos 33 alunos selecionados para ser Jovem Embaixadora”, declarou Jamilly.

Para a seleção o Jovem Embaixadores também leva em consideração perfil de liderança e trabalhos desenvolvidos em comunidade, no caso da Gyullia, além da atuação que teve enquanto aluna da rede estadual, ela também participa do STEM para as Minas. STEM é sigla em inglês para Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática, e o programa da qual ela participa tem o foco no aumento da participação feminina nesses campos.

“Sinto que estamos alcançando mais nossos objetivos à medida que expandimos nosso público, e creio que estamos conseguindo ter um impacto muito positivo aqui no Brasil. É um projeto do qual gosto muito e tenho muito carinho […] quero poder agregar tudo que aprender ao STEM para as Minas, para que possamos desenvolver mais o projeto e aumentar nosso alcance no Brasil”.

As jovens embaixadoras ressaltam a importância do apoio da escola e dos professores para participar da seleção para o programa, que além de concorrida também possui provas e entrevistas com representantes dos Estados Unidos.

“Além da parte dos formulários, o programa ainda contou com uma prova escrita em inglês e uma entrevista oral com uma representante de Washington DC e outro do Consulado dos EUA, e ambas foram realizadas de forma online este ano. Tive muito apoio tanto da escola quanto da família e dentro do STEM para as Minas para me candidatar, então me senti bastante tranquila durante todo o processo”, relatou Gyullia.

Já Jamilly, conheceu o programa através de sua professora de língua inglesa, Claudiene. A professora Valéria, que leciona as disciplinas de geografia e projeto de vida, também foi lembrada pela aluna por apoiá-la em diversos campos.  “A Claudiene foi quem me indicou o programa Jovens Embaixadores, me interessei em aplicar porque ela sempre disse que o perfil de um Jovem Embaixador tinha muito a ver com o meu. A Valéria me marcou muito pois ela sempre se mostrou uma profissional dedicada e que exerce sua função com muita sabedoria e humildade. Sempre conversamos muito sobre diversos assuntos, tanto pessoais quanto sociais”.

Planos futuros

Além do Jovens Embaixadores, as estudantes também possuem projetos para a carreia profissional e têm até um assunto de estudo em comum: economia. Gyullia, que se formou no ensino médio ano passado, já está matriculada no curso na Universidade Federal de São Carlos.

“Sempre quis cursar Economia, fosse aqui no Brasil ou no exterior. Esse ano, graças ao Enem, consegui ingressar em Ciências Econômicas na UFSCar e poderei começar a estudar Economia em uma universidade pública. Creio que terei acesso a muitas oportunidades dentro da universidade que me enriquecerão ainda mais na área”, contou.

Por enquanto, Jamilly ainda não decidiu, mas mantém algumas opções em mente. “Não tenho certeza de qual curso vou fazer ainda. Mas as áreas que tenho bastante interesse são: direito, relações internacionais, comércio exterior, economia ou ciências sociais”.

Fonte: saopaulo.sp.gov.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *