Em evento do UOL, executivos destacam insights e tendências de marketing para 2022

Em evento do UOL, executivos destacam insights e tendências de marketing para 2022

UOL realizou, nesta semana, o evento UOL Insights 2022- Tendências de marketing, apresentando ao mercado publicitário sua curadoria de tendências que vão movimentar a agenda de marketing e comunicação das empresas no ano que vem.

O relatório foi feito por Carolina Braga, gerente de planejamento e insights do UOL, em parceria com José Saad Neto, head de insights da GoAd Media. O evento realizado na Casa Petra, em São Paulo, teve também dois painéis que debateram os rumos da publicidade para 2022. A íntegra do evento está disponível no YouTube do UOL para Marcas.

No primeiro painel, Chiara Martini, diretora de estratégia criativa da Coca-Cola para a América Latina, e Eco Moliterno, chief creative officer da Accenture Interactive, estiveram ao lado de Bebeto Pirró, diretor de publicidade do UOL, para falar sobre alguns dos movimentos sociais que têm influenciado diretamente no modo de fazer marketing.

Martini falou sobre “ativismo de marca”, um dos temas abordados no UOL Insights. “Muitas vezes, as pessoas tendem a confundir marca com propósito e marca ativista. As marcas ativistas vão além do seu core, mas precisam ter autenticidade no assunto para gerar conexão. Independentemente disso, não dá mais para ficar isento em relação a tudo que está acontecendo no mundo”, afirmou a diretora da Coca-Cola.

Outro destaque do relatório foi o maior foco na experiência do cliente, principalmente no mundo digital. Para Eco, da Accenture, o próximo passo para as marcas é fazer com que a “big idea” se transforme numa “big experience”.

“O espaço mais nobre que se tem na publicidade é a tela inicial do celular das pessoas. Antes, as pessoas prestavam atenção na gente -mas ‘prestar’ é um verbo mandatório. Agora, como é uma via de mão dupla, as pessoas precisam ‘emprestar’ atenção para a gente. Precisamos valorizar muito isso”, disse.

“Meu grande desafio, hoje, é como crio experiência de jornadas. A compra no e-commerce é distante do momento do consumo. No restaurante, por exemplo, ela é próxima. Com isso, eu preciso mudar a forma de fazer publicidade para dar o gatilho de compra antes do momento em que as pessoas realmente vão consumir”, disse Martini.

Audiência e venda, sinônimos no marketing

No segundo painel, Paulo Samia, CEO do UOL, esteve ao lado de Bernardo Leão, diretor de marketing do Magazine Luiza, Carina Hermida, diretora de mídia, conteúdo, patrocínios e relação com consumidores da Heineken, e Victor Soffiatti, diretor de mídia e dados do grupo L’Oréal Brasil. No palco, os executivos debateram as urgências do marketing e prioridades de investimento para 2022.

Hermida e Soffiatti disseram que, nos últimos anos, as empresas estão revisando o investimento em mídia até mesmo durante a execução das campanhas publicitárias.

“Antigamente, colocávamos a campanha no ar e pronto. Agora, isso é só 20% do trabalho. Temos que entender a reação do consumidor, com novas necessidades, plataformas e comportamentos que vieram para ficar. A criatividade está à prova a todo momento”, afirmou Hermida.

“Se você faz um trabalho consistente, a eficiência e a eficácia virão. Hoje, conseguimos produzir mensagens relevantes e personalizadas para cada consumidor. Nosso desafio é desvendar os dados que nos proporcionam isso”, declarou Soffiatti, da L’Oréal.

“A produção de conteúdo é cada vez mais importante na estratégia de todas as marcas, principalmente no reforço das mensagens ao público. Por isso, o UOL tem investido em plataformas para levar essas mensagens a todas as audiências, em todos os pontos de contato do consumidor, ao longo de sua jornada diária de consumo. Isso tudo para ter um universo ainda maior para os anunciantes levarem seu propósito, seu recado, ao público-alvo”, disse Samia.

Leão disse que a personalização dos dados sobe a experiência do cliente a novos níveis.

“A questão dos dados é fundamental para quem tem mais de 50 milhões de tipos de produtos no catálogo nós. Temos que ir além da publicidade chata e ter uma cada vez mais relevante. Se temos audiência, temos venda. É esse nosso espírito”, afirmou o diretor do Magalu.

Fonte: UOL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *