[fwrsw_print_responsive_full_width_slider_wp]
Exames oftalmológicos a partir do nascimento ajudam no tratamento de doenças oculares

Exames oftalmológicos a partir do nascimento ajudam no tratamento de doenças oculares

Exames oftalmológicos a partir do nascimento ajudam no tratamento de doenças oculares

Como em qualquer patologia, quanto mais cedo um diagnóstico ocorrer maiores serão as chances de cura. E com a saúde dos olhos não é diferente, especialmente em crianças. De acordo com o oftalmologista Fernando Naves, do Hospital Santa Casa de Mauá, nos bebês e crianças, a genética e a hereditariedade são alguns dos fatores que colaboram para as doenças oculares.

“A maturidade da visão é concluída na primeira década de vida e, nesse período, as alterações não tratadas geram implicações para toda a vida. Por isso, o diagnóstico precoce é essencial e permite tratamentos com chances elevadas de cura”, explica o especialista.

A prematuridade e as infecções transmitidas na gestação são algumas das causas de alterações e, por essa razão, o teste do olhinho ou do reflexo vermelho é essencial e deve ser realizado nas primeiras 72 horas de vida. O exame permite fazer uma triagem de doenças oculares graves, como catarata e glaucoma congênito e retinoblastoma.

Se os exames iniciais apontarem alterações visuais, as visitas ao oftalmologista devem ocorrer a cada seis meses e, caso contrário, uma vez por ano com a finalidade de acompanhar o desenvolvimento visual, os movimentos, o alinhamento ocular e a fixação, além de análise da pálpebra, da conjuntiva, da córnea, da íris e da pupila.”Muitos dos problemas de visão na infância estão ligados a erros refrativos, que precisam ser corrigidos para não levar à ambliopia – falha no desenvolvimento neurológico da visão. O estrabismo também precisa ser tratado ainda na infância”, detalha o médico Fernando Naves.

Até a alfabetização, alguns dos exames clínicos ocorrem por meio de brinquedos, lanternas, tabelas, desenhos e com equipamentos próprios. Entre outros exames também estão o teste de acuidade visual e de Teller, potencial visual evocado, motilidade ocular, refração, exame do retinoscópio, avaliação das pálpebras, dos anexos oculares e o exame de fundo de olho.

Se entre os intervalos de visita ao oftalmologista a criança reclamar de dor de cabeça ao final do dia, apertar os olhos para enxergar, esfregá-los muitas vezes, aproximar objetos para enxergar melhor, apresentar queda no rendimento escolar, dificuldades para ler e de se concentrar, sensibilidade à luz, lacrimejamento excessivo ou olhos vermelhos, as consultas devem ser antecipadas, pois a criança pode precisar de óculos.

O Hospital Santa Casa de Mauá está localizado na Avenida Dom José Gaspar, 1374 – Vila Assis – Mauá – fone (11) 2198-8300. https://santacasamaua.org.br/ .