Suzano utiliza drone para auxiliar na proteção dos Muriquis-do-sul no interior paulista

Suzano utiliza drone para auxiliar na proteção dos Muriquis-do-sul no interior paulista

Com o ajuda da tecnologia foi possível encontrar grupo de mais de 30 animais, dentre eles fêmeas e machos adultos, bem como indivíduos jovens, que habitam áreas de preservação permanente da empresa em Pindamonhangaba (SP)

 

Suzano passou a utilizar drone para auxiliar no trabalho de proteção dos Muriqui-do-sul (Brachyteles arachnoides), maior espécie de primata das Américas que está ameaçada de extinção. Dotado de câmeras de alta resolução e termal, o “Dronequi”, como foi nomeada a tecnologia, colaborou para a localização de mais de 30 indivíduos da espécie na área de preservação permanente da empresa localizada na Fazenda São Sebastião do Ribeirão Grande, em Pindamonhangaba (SP).

“A Suzano tem o compromisso com a conservação da biodiversidade, está no nosso propósito Renovar a Vida a partir da Árvore, utilizando novas tecnologias a nosso favor. Nós já acompanhamos esse grupo de Muriquis há alguns anos, mas o drone tornou essa observação mais fácil e rápida. A análise de um grupo tão grande, com fêmeas e indivíduos jovens, deve ser comemorada e nos impulsiona a seguir em frente, uma vez que mostra que esses animais encontraram nas áreas preservadas da Suzano um habitat seguro para se reproduzirem e viverem”, destaca Maria Rangel, analista de Meio Ambiente Florestal da Suzano.

No grupo observado com o auxílio do drone, pesquisadores identificaram machos, fêmeas, animais subadultos e jovens, o que atesta as boas práticas de manejo e conservação ambiental da Suzano e um grande avanço na busca pela preservação de uma espécie que hoje estima-se com menos de 2 mil indivíduos vivendo entre os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.

O monitoramento da espécie faz parte do trabalho de conservação da Suzano, iniciado ainda em 2006, em parceria com o Instituto Pró-Muriqui, associação responsável por organizar as atividades de pesquisa científica do Muriqui-do-sul no Estado de São Paulo. Desde então, a Suzano vem buscando novas parcerias e tecnologias que auxiliem o programa.

A presença do drone trouxe agilidade e praticidade na observação e detecção de novos membros da espécie. Como a área está localizada em uma serra com mais de mil metros de altura, o trabalho era realizado presencialmente, limitando o campo de visão e a quantidade do percurso percorrido pela equipe. “Essa tecnologia vai auxiliar nos próximos passos que a empresa deseja seguir, como fortalecer o apoio na preservação não só do Muriquis, mas de outras espécies”, completa Rafael Baroni, coordenador de Meio Ambiente Florestal da Suzano.

O trabalho foi realizado nos meses de agosto e novembro de 2020 e contou com a parceria de equipes de pesquisadores da Sociedade de Investigações Florestais (SIF) e do Muriqui Instituto de Biodiversidade (MIB) e da Universidade Federal de Viçosa (UFV).

Próximos passos

 

Após o sucesso da observação experimental, a Suzano firmou uma parceria com a Sociedade de Investigações Florestais (SIF) para aprofundar o monitoramento do Muriqui-do-sul, com a supervisão do professor e pesquisador Fabiano R. de Melo, do departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Viçosa (UFV), em Minas Gerais. Nesta nova etapa, será realizado um estudo demográfico para verificar os animais, os grupos e subgrupos, o que é ameaça para ele e também uma análise genética. “Essa parceria é um passo importante porque com o investimento será possível monitorar esses animais, identificar novos grupos e ajudar na preservação não só dos Muriquis, algo fundamental, mas de outras espécies de primatas ameaçadas de extinção. É um ganho para a natureza e para a sociedade”, reforça docente.

O trabalho de campo será realizado na Fazenda São Sebastião do Ribeirão Grande, em Pindamonhangaba (SP), e ampliado desta vez para o Parque das Neblinas, na Serra do Mar, próximo ao município de Mogi das Cruzes (SP). A ação irá contemplar outras espécies de primatas, o Muriqui-do-sul é o carro-chefe da pesquisa, mas outras espécies ameaçadas de extinção que forem identificadas nos locais serão analisadas.

O projeto também irá alimentar os dados do Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Primatas da Mata Atlântica e da Preguiça-da-coleira da (PAN PPMA) – que substitui o Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Muriquis (PAN Muriquis), do qual o professor Fabiano R. de Melo foi um dos articuladores.

 

Sobre a Suzano

A Suzano é referência global no desenvolvimento de soluções sustentáveis e inovadoras, de origem renovável, e tem como propósito renovar a vida a partir da árvore. Maior fabricante de celulose de eucalipto do mundo e uma das maiores produtoras de papéis da América Latina, atende mais de 2 bilhões de pessoas a partir de 11 fábricas em operação no Brasil, além da joint operation Veracel. Com 97 anos de história e uma capacidade instalada de 10,9 milhões de toneladas de celulose de mercado e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano, exporta para mais de 100 países. Tem sua atuação pautada na Inovabilidade – Inovação a serviço da Sustentabilidade – e nos mais elevados níveis de práticas socioambientais e de Governança Corporativa, com ações negociadas nas bolsas do Brasil e dos Estados Unidos. Para mais informações, acesse: www.suzano.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *