[fwrsw_print_responsive_full_width_slider_wp]
Francisco Morato estreia projeto de reciclagem inspirado no Moeda Verde

Francisco Morato estreia projeto de reciclagem inspirado no Moeda Verde

Batizado de Vale Verde, iniciativa que troca resíduos por alimentos começou nesta quarta-feira

Santo André, 21 de junho de 2023 – O programa Moeda Verde tornou-se inspiração para mais um município que quer ampliar a reciclagem e melhorar a alimentação de pessoas que estão em situação de vulnerabilidade socioeconômica. Nesta quarta-feira (21), a cidade de Francisco Morato, localizada na Região Metropolitana de São Paulo, estreou o projeto Vale Verde, com os mesmos princípios.

Esta é a terceira vez que a iniciativa da Prefeitura de Santo André se torna exemplo para outro município. As cidades de Amparo, em 2018, e de Mauá, neste mês de junho, implantaram ações semelhantes.

“O Moeda Verde é uma política pública que fortalece a preservação do meio ambiente, ao mesmo tempo em que melhora a questão da segurança alimentar. Por isso, para nós é um orgulho saber quando outra cidade cria uma ação com o mesmo propósito”, comemora o prefeito Paulo Serra.

Representantes e autoridades da Prefeitura de Francisco Morato conheceram o programa em 2021, no início das trocas de recicláveis por alimentos no Núcleo Lamartine, no Jardim Santo André. “Queria agradecer por todo esse laço de amizade e parceria com a nossa cidade. Após dois anos de visita a Santo André, a gente está instituindo o projeto Vale Verde. Que as boas práticas dos municípios possam ser sempre compartilhadas”, disse o vice-prefeito Ildo Gusmão.

O superintendente adjunto do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), órgão criador da iniciativa junto ao Fundo Social de Solidariedade, esteve no evento de estreia e ressaltou os benefícios que o projeto pode trazer. “Os resultados são a melhoria ambiental nos bairros – porque essa ação evita que os resíduos sejam descartados de forma irregular, a geração de renda para as cooperativas de reciclagem e também o aumento da vida útil de aterros sanitários”, explica.

Desde 2017, quando foi criado, o Moeda Verde já atraiu olhares de representante das cidades de Porto Ferreira, São Carlos, Amparo, Leme, Recife, Guarujá, Itanhaém e Itapetininga. O programa já arrecadou mais de 1 milhão de quilos de materiais recicláveis, entregando mais de 210 toneladas de frutas, legumes e verduras para moradores que residem em 25 comunidades carentes.

| Texto: Susi Elena